O Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade oferece regularmente palestras voltadas para profissionais da área contábil e tem por objetivo apresentar à comunidade a aplicação prática da pesquisa em Contabilidade em termos sociais, e tem constantemente atraído um número médio de 80 participantes da comunidade próxima em cada sessão.

Neste evento é solicitado um quilo de alimento não perecível aos participantes e esta arrecadação é totalmente destinada para uma entidade assistencial.

 

25/04/2019 às 19h15 no Anfiteatro Dr. Ivo Torres da FEA-RP foi realizada a palestra: Contabilidade e Novas Moedas: Desafios e Oportunidades com os Professores Doutores Marcelo Botelho da Costa Moraes e Silvio Hiroshi Nakao.

 

27/03/2019 às 19h15 no Anfiteatro Dr. Ivo Torres da FEA-RP foi realizada a palestra: IRPF 2019: O leão está com fome! com o auditor da Receita Federal Julio Alfredo Hahn Curvo e o Prof. Dr. Amaury José Rezende.

 

28/11/2018 às 19h15 no Anfiteatro Dr. Ivo Torres da FEA-RP foi realizada a palestra: Exame de suficiência: qual é o mistério? com o Prof. Dr. Alexandre Sanches Garcia (via webconferência) e Profa. Dra. Adriana Maria Procópio de Araújo.

31/10/2018 às 19h15 no Anfiteatro Dr. Ivo Torres da FEA-RP foi realizada a palestra: Finanças pessoais: como lidar? com Laura Marchiori, Gabriel Barcelos e Gabriela Paiva, do Projeto de Extensão Pé de Meia (FEA-USP/RP).

26/09/2018 às 19h15 no Anfiteatro Dr. Ivo Torres da FEA-RP foi realizado o painel: Qual o custo do serviço público? com o Prof. Cezar Volnei Mauss (webconferência) e o Prof. Marcio Minoru Garcia Takeuchi, com mediação do Me. Fabrício Ramos Neves.

25/04/2018 às 19h15 no Anfiteatro Dr. Ivo Torres da FEA-RP foi realizada a palestra: Como e por que investir seu dinheiro? com  Luiz Felipe Guarnieri.

28/03/2018 às 19h15 no Anfiteatro Dr. Ivo Torres da FEA-RP foi realizado o painel: Importância das Cooperativas para a sociedade nos dias atuais  com  a participação do Prof. Dr. Davi Rogério de Moura Costa e da Dra. Luana Zanetti Trindade Ferraz.

27/09/2017 às 19h15 no Anfiteatro Dr. Ivo Torres da FEA-RP foi realizada a palestra: Código X: Decifrando o Orçamento Público, ministrada pelo doutorando  Fabricio Ramos Neves.

Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • Ricardo Theodoro Open or Close

    Defesa de dissertação de Mestrado:
    Área:    Controladoria e Contabilidade
    Data:    27/11/2019, às 08h30 - horário de Brasília
    Local: 
    Sala 43, bloco B2 da FEA-RP
    Título: Ações discricionárias em cooperativas de crédito: aplicações da Lei de Benford
    Autor: Ricardo Theodoro

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Carlos Alberto Grespan Bonacim (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Alessandro Gustavo Souza Arruda (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - UFMS)

    Prof(a). Dr(a). Mateus de Carvalho Reis Neves (Universidade Federal de Viçosa - UFV) - MCONF RNP

    Prof(a). Dr(a). Eugênio José Silva Bitti (FEA-RP)

     

    Resumo: 

    Trabalhos anteriores verificaram a presença de gerenciamento de resultados em cooperativas de crédito para income smooth utilizando regressões como técnica de identificação. Com isso, este trabalho buscou ampliar estas pesquisas verificando se existem cooperativas de crédito singulares que praticam ações discricionárias que divergem do padrão do setor através da utilização de uma técnica chamada Lei de Benford. Para isso, a Lei de Benford foi aplicada à todas as cooperativas de crédito singulares do Brasil no período de 2006 à 2017, para as contas Receita Operacional, Despesa, Caixa e PCLD. Dado o surgimento das Resoluções nº 4.434 e nº 4.454 em 2015 que dispõem, respectivamente, sobre a contratação de gestores e auditoria independente em cooperativas de crédito, foi realizado primeiro um recorte no período 2014 à 2017 e depois recorte destes quatro anos individuais. Os resultados apontam que a aplicação da Lei de Benford para um conjunto longo de períodos não captura variações no tempo, uma vez que determinadas ações discricionárias, como gerenciamento de resultados, tem como premissa o retorno do valor real em períodos futuros. Quando aplicado em anos individuais, é observado a presença de possíveis ações discricionárias que estejam fora o padrão normal das cooperativas de crédito. Embora o número de cooperativas presentes nos valores que mais destoam da Lei de Benford (que indicaria maior probabilidade de discricionariedade fora do padrão), o número de cooperativas que se repetem nas contas aumentou com o passar do tempo, apesar de minimamente. Estes resultados podem ser um indício de que as Resoluções nº 4.434 e nº 4.454 estejam contribuindo para que as cooperativas de crédito se adéquem ao padrão do setor.

Atualização do site

  • Atualizado em: 14 Novembro 2019, 21:34:12.