O Projeto “Finanças em Dia!” é um projeto de extensão universitária idealizado e coordenado pelo prof. Dr. Marcelo Augusto Ambrozini, seu objetivo é levar conhecimento sobre opções de investimentos financeiros e fontes alternativas de financiamento para a comunidade da cidade de Ribeirão Preto e seu público alvo são pessoas físicas e pequenos e médios empresários da cidade de Ribeirão Preto.

Em 2015, a I Edição do “Finanças em Dia!” foi realizada no Parque Municipal Dr. Luís Carlos Raya, localizado no Jardim Botânico em Ribeirão Preto, onde os alunos de graduação, cerca de 120 envolvidos no projeto, divididos em grupos de até quatro integrantes, fizeram uma exposição dos banners em local público e ficaram à disposição das pessoas interessadas em tirar dúvidas e/ou conhecer mais a fundo as opções de investimentos e fontes de financiamento existentes no mercado financeiro brasileiro. Posteriormente, o material será exposto em outros locais púbicos e em algumas faculdades da USP de Ribeirão Preto.

Os produtos financeiros apresentados, falando sobre a tributação incidente sobre esses produtos foram:

Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • Ricardo Theodoro Open or Close

    Defesa de dissertação de Mestrado:
    Área:    Controladoria e Contabilidade
    Data:    27/11/2019, às 08h30 - horário de Brasília
    Local: 
    Sala 43, bloco B2 da FEA-RP
    Título: Ações discricionárias em cooperativas de crédito: aplicações da Lei de Benford
    Autor: Ricardo Theodoro

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Carlos Alberto Grespan Bonacim (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Alessandro Gustavo Souza Arruda (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - UFMS)

    Prof(a). Dr(a). Mateus de Carvalho Reis Neves (Universidade Federal de Viçosa - UFV) - MCONF RNP

    Prof(a). Dr(a). Eugênio José Silva Bitti (FEA-RP)

     

    Resumo: 

    Trabalhos anteriores verificaram a presença de gerenciamento de resultados em cooperativas de crédito para income smooth utilizando regressões como técnica de identificação. Com isso, este trabalho buscou ampliar estas pesquisas verificando se existem cooperativas de crédito singulares que praticam ações discricionárias que divergem do padrão do setor através da utilização de uma técnica chamada Lei de Benford. Para isso, a Lei de Benford foi aplicada à todas as cooperativas de crédito singulares do Brasil no período de 2006 à 2017, para as contas Receita Operacional, Despesa, Caixa e PCLD. Dado o surgimento das Resoluções nº 4.434 e nº 4.454 em 2015 que dispõem, respectivamente, sobre a contratação de gestores e auditoria independente em cooperativas de crédito, foi realizado primeiro um recorte no período 2014 à 2017 e depois recorte destes quatro anos individuais. Os resultados apontam que a aplicação da Lei de Benford para um conjunto longo de períodos não captura variações no tempo, uma vez que determinadas ações discricionárias, como gerenciamento de resultados, tem como premissa o retorno do valor real em períodos futuros. Quando aplicado em anos individuais, é observado a presença de possíveis ações discricionárias que estejam fora o padrão normal das cooperativas de crédito. Embora o número de cooperativas presentes nos valores que mais destoam da Lei de Benford (que indicaria maior probabilidade de discricionariedade fora do padrão), o número de cooperativas que se repetem nas contas aumentou com o passar do tempo, apesar de minimamente. Estes resultados podem ser um indício de que as Resoluções nº 4.434 e nº 4.454 estejam contribuindo para que as cooperativas de crédito se adéquem ao padrão do setor.

Atualização do site

  • Atualizado em: 14 Novembro 2019, 21:34:12.