O curso de doutorado visa contribuir para o desenvolvimento da ciência por meio da preparação de pesquisadores de alto nível. Ele começa no mês de março. Incentiva-se fortemente o doutorado sanduíche.


Objetivo: Formar pesquisadores e líderes com capacidade de antecipar soluções para o
desenvolvimento da ciência.

Título concedido: Doutor em Ciências – Programa de Controladoria e Contabilidade.

Egresso: Profissionais habilitados para atuarem em instituições de pesquisas, de ensino, no controle e gestão de entidades privadas, públicas e não governamentais.

Linhas de Pesquisa: a) Contabilidade Financeira e Finanças e b) Instituições e Eficiência das Organizações. A escolha se faz no processo de inscrição no curso e orienta toda a trajetória do curso.

Duração do curso: A duração máxima do curso é de 48 meses a contar da data de matrícula.

Disciplinas e créditos: São 48 créditos em disciplinas obrigatórias e Optativas. Veja em Disciplinas.

Exame de qualificação: Até o 24º mês o aluno submeterá seu projeto de pesquisa a um exame de qualificação.

Defesa da tese: No final do curso, o aluno deverá ter desenvolvido uma tese que se constitui em uma inovação ao conhecimento até então existente e, que demonstre capacidade de pesquisa, além de habilidades de liderança e exposição de ideias. Durante o curso, o aluno deverá tornar público, por meio de publicação em uma revista científica, o resultado parcial de suas pesquisas.


Veja as normas do Mestrado em: Regulamento do Programa de Controladoria e Contabilidade FEA-RP

Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • Vanessa Schaefer Open or Close

    Área:    Controladoria e Contabilidade

    Curso: Mestrado
    Data:    17/06/2020, às 09h00 - horário de Brasília
    Local: Devido à contingência do COVID-19, a banca ocorrerá totalmente online e será transmitida publicamente.

    Transmissão ao vivo: stream.meet.google.com/stream/df6e1012-d265-46cb-b1ba-dd0df981efa4

    Título: Análise da relação entre os papéis assumidos pelos cooperados (usuário e/ou proprietário) e o desempenho socieconômico percebido na cooperativa
    Autor: Vanessa Schaefer

    Banca: Prof(a). Dr(a). Amaury José Rezende (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Jorge Eduardo Scarpin (Universidade Federal do Paraná - UFPR)

    Prof(a). Dr(a). Diógenes de Souza Bido (Universidade Presbiteriana Mackenzie)

    Prof(a). Dr(a). Reginaldo Ferreira Barreiros (Universidade Estadual de Ponta Grossa)

     

    Resumo: 

    Na relação contratual entre o cooperado e a cooperativa agropecuária, os cooperados podem assumir os papéis de usuário e proprietário. O primeiro pressupõe atividades de compra, venda e utilização de serviços, e o segundo de participação na tomada de decisão e prestação de contas. Não há obrigatoriedade contratual para que ele assuma os dois papéis na relação, o que ocasiona distintos perfis dentro da mesma organização e influencia o seu desempenho, tanto de maneira positiva quanto negativa. Neste contexto, este estudo buscou explicar como os papéis assumidos pelo cooperado (usuário e proprietário) relacionam-se com as suas atitudes (comunicação efetiva, confiança e comprometimento) e percepção sobre o desempenho socioeconômico da cooperativa agropecuária. A estratégia de pesquisa compreendeu a coleta de dados por meio de um questionário e a análise dos dados pela modelagem de equações estruturais com estimação por mínimos quadrados parciais, no software SmartPLS3. A amostra é composta por 210 cooperados de uma cooperativa agropecuária brasileira. Os principais resultados indicam que a comunicação efetiva influencia positivamente a confiança e o comprometimento, os quais influenciam positivamente a atitude do cooperado como usuário e proprietário e, esta atitude influencia positivamente a percepção deles sobre o desempenho socioeconômico. Portanto, os resultados mostram que quanto mais o cooperado manter relações, seja como usuário ou proprietário, melhor é o desempenho socioeconômico percebido por ele. Além disso, a análise do mapa importância-desempenho (IPMA) demonstra que a dimensão de usuário apresenta uma influência positiva maior sob o desempenho socioeconômico percebido do que a atitude dele como proprietário. Para a literatura, este estudo contribui ao trazer evidências empíricas sobre a relação entre os papéis que o cooperado escolhe assumir na sua relação com a cooperativa, as suas atitudes e a forma como ele percebe o desempenho socioeconômico da organização. De forma prática, estes aspectos contribuem para que a gestão da cooperativa atue de maneira mais efetiva nas ações que envolvem o cooperado e os seus papéis.

Atualização do site

  • Atualizado em: 03 Junho 2020, 15:35:23.