Perfil do Docente

 

Informações

  • Titulação: Professor Associado
  • Currículo: Lattes
  • Telefone: +55 (16) 3315-0503
  • E-Mail: amauryj@usp.br
  • Grupo de Pesquisa: NECCT

 

Área de Pesquisa

Contabilidade Tributária.

 

Biografia

Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1999), Mestrado em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (2004), Doutorado em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (2009), Pós-Doutor pela Justus Liebig - University Giessen-Alemanha (2010). Livre-docente em Contabilidade Tributária pela Faculdade de Administração Economia e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2015). Atualmente, é professor Associado da Universidade de São Paulo, na Faculdade de Administração Economia e Contabilidade de Ribeirão Preto; Coordenador do Programa de Pós-graduação em Controladoria e Contabilidade de Ribeirão Preto; Coordenador do Núcleo de Estudos em Controladoria e Contabilidade Tributária (CNPQ); Organizador e coordenador do Workshop em Contabilidade e Tributação e Coordenador do curso de MBA/FUNDACE ? Gestão Tributária. Foi Editor Chefe da Revista de Contabilidade e Organizações (2007 a 2014). Autor dos Livros de Contabilidade tributária (2010) e de Contabilidade do Terceiro Setor (2012), ambos pela Ed. Atlas. Tem experiência na área de Ciências Contábeis, atuando principalmente nos seguintes temas: contabilidade tributária, controladoria e gestão tributária, e finanças e contabilidade pública.

 

Artigos em Periódicos

  • Características determinantes no desempenho ambiental dos municípios paulistas

    RAP. REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. vol. 53, p. 1-, 2019

    SANT?ANNA, F. P.; DALMACIO, F. Z.; REZENDE, A. J.


  • Um estudo sobre a evolução da carga tributária no Brasil: uma análise a partir da Curva de Laffer

    INTERAÇÕES. vol. 20, p. 239-, 2019

    REZENDE, AMAURY JOSE; LIMA, EMANOEL MARCOS


  • Contratos Agrários. Parceiras ou Arrendamentos?

    REVISTA BRASILEIRA DE DIREITO COMERCIAL. vol. 28, p. 84-, 2019

    BURANELLO, R.; REZENDE, A. J.; MATTOS, A. N.


  • Last Chance for a Big Bath: Managing Deferred Taxes Under IAS 12 in Brazilian Listed Firms

    REVISTA CONTABILIDADE & FINANÇAS (ONLINE). vol. 30, p. 268-281, 2019

    ANTONIO, R. M.; REZENDE, A. J.; MORAES, M. B. C.; RATHKE, A. A. T.


  • Perception of Value Co-creation Actions in Agricultural Cooperatives

    BAR. BRAZILIAN ADMINISTRATION REVIEW. vol. 15, p. 1-32, 2018

    FERRAZ, LUANA ZANETTI TRINDADE; TODEVA, EMANUELA; LIMA, JOÃO PAULO RESENDE DE; REZENDE, AMAURY JOSÉ


Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • Lucas Allan Diniz Schwarz Open or Close

    Área:    Controladoria e Contabilidade

    Curso: Mestrado
    Data:    14/02/2020, às 17h00 - horário de Brasília
    Local: 
    Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Incerteza sobre a política econômica e estrutura de capital: evidências no Brasil
    Autor: Lucas Allan Diniz Schwarz

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Flávia Zóboli Dalmácio (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). José Elias Feres de Almeida (Universidade Federal do Espírito Santo - UFES) - MCONF RNP

    Prof(a). Dr(a). Fernando Dal-Ri Murcia (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA) - MCONF RNP

    Prof(a). Dr(a). Marcelo Augusto Ambrozini (FEA-RP)

     

    Resumo: 

    Este estudo procurou investigar como a incerteza sobre a política econômica afeta as decisões de alavancagem das empresas brasileiras listadas em bolsas de valores. Primeiras evidências sugerem que firmas não-financeiras listadas empregam menos dívidas em suas estruturas de capital em momentos de maior incerteza sobre a política econômica (Lv & Bai, 2019; Zhang, Han, Pan, & Huang, 2015). A partir de dados trimestrais de 163 firmas não-financeiras brasileiras listadas na B3 entre março de 2010 e março de 2019, foi verificado que as firmas não-financeiras da amostra responderam a níveis elevados de incerteza sobre a política econômica com maiores níveis de alavancagem, mesmo quando controla-se as condições macroeconômicas, contrariando a perspectiva clássica apresentada pela Teoria do Trade-off para a relação entre incerteza e alavancagem. Os achados deste estudo são,ao menos preliminarmente,consistentes comaTeoriadoMarketTiming. Os resultados persistem em especificações que procuraram minimizar possíveis problemas de endogeneidade.

Atualização do site

  • Atualizado em: 17 Janeiro 2020, 18:38:47.