Calendário de reuniões da Comissão Coordenadora do Programa (CCP):

 

05/03 (10h00) – Sala 41-A

02/04 (10h00) – Sala 41-A

07/05 (10h00) – Sala 41-A

04/06 (10h00) – Sala 41-A

 

Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • Ricardo Miguel Sobral Open or Close

    Área: Administração de Organizações

    Curso: Doutorado
    Data: 04/03/2020, às 09h00 (horário de Brasília)
    Local: Sala 43, bloco B2 da FEA-RP
    Título: O marco legal das organizações da sociedade civil: criação do índice de transparência e eficiência
    Autor: Ricardo Miguel Sobral

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). André Lucirton Costa (Presidente)
    Prof(a). Dr(a). Adriana Cristina Ferreira Caldana (FEA-RP)
    Prof(a). Dr(a). Rudnei Toneto Júnior (FEA-RP)
    Prof(a). Dr(a). Gustavo Assed Ferreira (Faculdade de Direito de Ribeirão Preto - FDRP)
    Prof(a). Dr(a). Marcio Pochmann (Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP)
    Prof(a). Dr(a). Benedito Cerezzo Pereira Filho (Universidade de Brasília - UNB)

     

    Resumo: As demandas sociais por serviços de natureza pública são crescentes e constituem dever do estado, seja por fornecimento direto seja por meio da criação de mecanismos diversos que permitam a concretização por outras organizações, em parceria. Nesse sentido, no Brasil, o desenvolvimento e execução das políticas públicas através de Organizações da Sociedade Civil – OSC – é um fenômeno inexorável no desenvolvimento da sociedade brasileira e tem como regramento especial a Lei nº 13.019/2014, denominada de Marco Regulatório da Organizações da Sociedade Civil – MROSC. Ante este cenário de participação conjunta, em regime de mútua cooperação, é necessária a fixação de regras e padrões que permitam, ao mesmo tempo, a efetiva prestação dos serviços e mecanismos de controle na aplicação dos recursos do erário, evitando

    o desvio de finalidade e a corrupção. O objetivo geral da tese é, portanto, a criação de um índice, baseado em critérios objetivos extraídos das exigências legais e dos motivos que levam os órgãos de controle, sendo para efeito de estudo o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, a considerar irregulares ou regulares com ressalvas as contas de uma atividade exercida pelas OSC’s. Os objetivos específicos consistem em definir as organizações existentes na Sociedade Civil, analisar a legislação referente ao regulamento das relações entre Organizações da Sociedade Civil e o Estado Brasileiro, analisar detalhadamente a Lei que rege as relações entre as Organizações da Sociedade Civil e o Estado, o Marco Regulatório da Organizações da Sociedade Civil, estratificar quais são as principais fontes de rejeição e glosas nas contas das OSC’s em análises efetuadas pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e desenvolver o índice de eficiência e transparência, de forma estruturada e fundamentada. O método foi dividido em quatro partes, partindo do geral para o especial, iniciando pela literatura clássica do conceito da sociedade civil, em seguida pela literatura recente a partir dos termos estado e democracia e sociedade civil. Já no terceiro passo uma descrição, a partir da Constituição da República de 1988, do ordenamento jurídico de execução de serviços públicos entre o Estado e mercado e a sociedade civil (Lei de OS, OSCIP, Concessões, Parcerias Público-Privadas e o MROSC). A quarta parte a identificação dos julgados de atividades financiadas pelo estado e executadas pela sociedade civil organizada em municípios acima de 100.000 habitantes para identificação das suas características. A partir dos julgados, foi possível a identificação de sete motivos de irregularidade, inclusive em quais são aplicadas as penalidades mais severas e, com isso, se pode atribuir os pesos do índice deficiência e transparência, que permitirá ao administrador elementos objetivos para a seleção das propostas recebidas em um chamamento público.

  • Fernanda Gisele Basso Open or Close

    Área: Administração de Organizações

    Curso: Doutorado
    Data: 16/03/2020, às 10:00 (horário de Brasília)
    Local: Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Mapeamento de tendências tecnológicas: uma análise a partir do esforço tecnológico na indústria farmacêutica
    Autor: Fernanda Gisele Basso

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Geciâne Silveira Porto (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Evandro Marcos Saidel Ribeiro (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Simone Vasconcelos Ribeiro Galina (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Priscila Rezende da Costa (UNINOVE)

    Prof(a). Dr(a). Flavia Oliveira do Prado Vicentin (Agência USP de Inovação)

    Prof(a). Dr(a). Cristiano Gonçalves Pereira (Instituto Butantã)

     

    Resumo: O desenvolvimento tecnológico demanda das organizações alto investimento, que exigem técnicas para identificar caminhos que são tendência dentro de sua área de atuação. Nessa perspectiva, identificar os principais concorrentes e possíveis parceiros pode ajudar a reduzir o risco, especialmente em setores de tecnologia intensiva. A indústria farmacêutica, devido à sua intensidade tecnológica, busca constantemente informações que indiquem o melhor caminho de crescimento e desenvolvimento futuro, o que gera a necessidade de estudos de previsão tecnológica. Assim esse trabalho tem como objetivo geral de identificar a evolução das trajetórias tecnológicas resultantes do esforço de P&D&I das 20 maiores indústrias farmacêuticas no desenvolvimento de tecnologias que resultaram em depósitos de patentes. Para atender a esse objetivo, esta pesquisa utilizou como base metodológica a análise de redes sociais para mapear as rotas tecnológicas e identificar as inovações que compõem a fronteira tecnológica desse setor, a partir de citações de patentes. Em concomitância foi investigado os principais players dessas tecnologias emergentes e quais as estratégias utilizadas para alcançar esses desenvolvimentos tecnológicos. Houve ainda a utilização da análise de redes sociais dinâmicas a fim de apresentar a evolução ocorrida neste setor. Por fim num intuito de identificar a inserção dessas tecnologias emergentes no mercado, avaliou-se os estágios dos estudos clínicos. Assim observa-se que o setor farmacêutico é dinâmico tanto no desenvolvimento das tecnologias, como na formação do mercado.