Quinta, 04 Julho 2019 14:58

Em Ribeirão Preto, 15 mil estudantes viram alvo de pesquisa

Avalie este item
(0 votos)

 

Estudantes de 3ª e 4ª séries de escolas públicas e privadas de Ribeirão Preto vão participar de um estudo sobre desenvolvimento socioemocional, ou seja, não cognitivo, que são aquelas atividades que não pressupõem a necessidade de ter uma bagagem de conhecimento acadêmico para que seja possível ser desenvolvida, como por exemplo, habilidades orais, motoras, capacidade de andar, de prestar atenção.

 

Os pesquisadores querem descrever a realidade dos estudantes de Ribeirão Preto e entender a fundo a relação das características socioemocionais com resultados escolares e outros fatores importantes para a formação dos jovens como alunos e cidadãos.

 

A literatura científica já possui resultados importantes sobre o papel das habilidades não cognitivas para o aprendizado e para o melhor desempenho acadêmico e inserção de jovens no mercado de trabalho. A diferença é que nesse estudo de campo serão feitas avaliações das habilidades cognitivas, como a proficiência em língua portuguesa e matemática, e de habilidades socioemocionais como empatia, resiliência, organização, abertura a novas experiências e autoestima.

 

A pesquisa pretende alcançar 15 mil crianças das 30 escolas públicas municipais, 39 estaduais além de, pelo menos, 44 escolas particulares das 70 do Ensino Fundamental I que existem na cidade e que já aderiram ao projeto. “Os estudantes vão receber um tablet com questões de conteúdo em português, matemática e habilidades socioemocionais. Além da avaliação das crianças, solicitaremos que os professores responsáveis por cada turma respondam a um questionário sobre conteúdos da Base Nacional Comum Curricular,” explica Thiago Neves Camargo, estudante da FEA-RP e integrante do LEPES. As aplicações, segundo Camargo, serão entre os meses de agosto e outubro deste ano.

 

SENNA

A pesquisa será feita com aplicação do instrumento SENNA, sistema de mensuração de características socioemocionais dos estudantes brasileiros e que foi desenvolvido pelo Laboratório de Estudos e Pesquisas em Economia Social (LEPES), vinculado a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP), em parceria com o Instituto Ayrton Senna e o Edulab 21, também vinculado ao Instituto.

 

O instrumento faz a mensuração de competências socioemocionais nas redes de ensino, por meio da avaliação e acompanhamento de competências para a vida. Surgiu para apoiar educadores e gestores e contribuir para a criação e a qualificação de políticas públicas adaptativas para a promoção da educação integral.

 

As escolas que participarem do estudo vão receber o selo “Escola Amiga da Ciência”, criado pelo LEPES. Segundo Camargo, o selo foi criado para essa pesquisa e serve de estímulo para as escolas particulares participarem voluntariamente. As que aderirem ganham um selo. As escolas públicas participam por conta da adesão das secretarias municipal e estadual de Educação e, mesmo assim, também recebem o selo. “Apesar de ter sido criado para esse projeto de pesquisa, não está descartada a possibilidade do selo “Escola Amiga da Ciência” se estender a outros estudos futuros”, informa o pesquisador.

 

LEPES

O LEPES foi criado em 2011 pelos professores da FEA-RP Daniel Domingues dos Santos, Luiz Guilherme Scorzafave e Elaine Pazello com o objetivo de desenvolver pesquisas e fazer avaliações de impacto de políticas sociais e programas específicos das áreas de desenvolvimento infantil, desenvolvimento socioemocional, gestão escolar e violência e criminalidade. A ideia é expandir a fronteira do conhecimento e trabalhar para a melhor formulação de políticas públicas.

 

Para isso, faz parcerias e desenvolve projetos para diversas instituições no Brasil e internacionais como, por exemplo, o Instituto Ayrton Senna e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O primeiro trabalho do grupo foi elaborar o questionário do Jovem Cientista para o Instituto Unibanco, em 2011.

 

Mais informações sobre o LEPES podem ser obtidas no site do laboratório, http://lepes.fearp.usp.br/.

 

Por: Ferraz Jr. Divisão de Comunicação da SCS - Polo Ribeirão Preto.

Lido 431 vezes Última modificação em Sexta, 05 Julho 2019 11:29