Sexta, 13 Agosto 2021 09:18

Universitários auxiliam mais de 100 famílias em Ribeirão Preto na prevenção à covid-19

Avalie este item
(2 votos)

“A máscara seria importante para meu filho ir à escola.” Esse foi um dos muitos relatos que os estudantes voluntários do Projeto Extensão Solidária (PES) da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP ouviram desde que começou a pandemia. 

Com a coordenação do professor João Luiz Passador, os voluntários do projeto atuam nos bairros Parque Ribeirão e Jardim Progresso desde 2011 com atividades voltadas à educação, cultura e lazer de crianças e adolescentes e têm como objetivo resgatar a infância por meio de atividades educacionais e lúdicas pensadas e estruturadas pelos alunos da USP, no qual o processo de “aprender brincando” é valorizado e estimulado.

Por causa da pandemia da covid-19, as atividades do projeto foram suspensas e como forma de manter o contato com o público e fazer uma busca ativa de informações sobre as necessidades das famílias do bairro, foram realizadas novas formas de aproximação com a produção de conteúdos e eventos on-line e atividades presenciais pontuais, como a ação Coronavírus não entra em casa

Nessa ação, foram entregues kits de limpeza compostos com água sanitária, máscaras de tecido (2 infantis, 2 adultos), sabonetes em barra, álcool em gel ou spray higienizador, álcool líquido e flanela de limpeza, além da realização de atividades de prevenção ao coronavírus com a distribuição de cartilha, orientações aos moradores e a coleta de informações sobre a comunidade para facilitar a comunicação e mensurar as demandas dos bairros visando à realização de atividades futuras. Ao todo foram distribuídos 240 kits, e famílias com mais de duas crianças receberam mais de um. 

A ação ocorreu de 8 de maio a 25 de julho, e atendeu 159 famílias dos bairros, sempre seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), uso de máscaras, álcool em gel a 70% e distanciamento mínimo de um metro. 

Simone Garcia da Silva é moradora do Jardim Progresso há 20 anos e comemora a ação. Os filhos dela frequentavam as atividades do projeto PES que aconteciam presencialmente, antes da pandemia, na Escola Social Marista Irmão Rui Leopoldo Depiné. A moradora relata que o trabalho realizado pelos voluntários é ótimo, para ela, as ações realizadas antes da pandemia e depois foram muito importantes para o bairro. 

Segundo Simone a ajuda atual também foi muito bem-vinda, “o kit de higiene que eles entregaram ajudou muito porque nós estávamos precisando mesmo. Os produtos são muito bons. A minha filha sai com a minha netinha e leva o álcool na bolsa, e o resto dos produtos eu gostei bastante” relata.

 

Intercâmbio entre Universidade e comunidade

 

Para a estudante da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP Tamara dos Santos de Souza, fazer parte do projeto é trabalhar em prol das pessoas atuando de forma ativa como agente social, doando tempo e conhecimento a fim de alcançar objetivos, como a promoção do intercâmbio entre a Universidade e a comunidade, por exemplo. “É mais do que apenas transmitir uma mensagem; é saber ouvir, ser empático, comunicativo e ter compromisso com o outro”, diz. 

A estudante de Administração da FEA-RP Carolina Arruda Pereira, que também é voluntária no projeto, diz que no levantamento realizado no bairro muitos moradores relataram que estão desempregados por conta da pandemia e, consequentemente, não possuem comida em casa. E completa dizendo que “as ações do projeto são de extrema importância, visto que muitas famílias estão com dificuldades financeiras”.

Além dos estudantes, o projeto também contou com voluntários externos, como a jovem Camila Arruda Pereira. Para a estudante o sentimento foi de dever cumprido e uma experiência muito significativa. “Às vezes parece que não é muita coisa, mas o sorriso que se recebe depois é como se as pessoas se sentissem ouvidas e confortadas.” 

O Projeto Extensão Solidária (PES) é vinculado ao Grupo de Estudos em Gestão e Políticas Públicas Contemporâneas (Gpublic), coordenado pelos professores João Luiz Passador e Claudia Souza Passador. Os recursos para que a ação pudesse ser realizada vieram do Edital de Empreendedorismo Social, lançado pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP (PRCEU) para a compra dos materiais que fizeram parte dos kits e para o custeio do transporte dos voluntários.

Para saber mais sobre o projeto e suas atividades acesse as redes sociais do Extensão Solidária no facebook e no instagram ou pelos e-mails: extensaosolidaria@gmail.com.

 

Por: France Júnior, Jornal da USP.

 

Lido 182 vezes Última modificação em Sexta, 13 Agosto 2021 09:30