LINHAS DE PESQUISA A PARTIR DE OUTUBRO DE 2018

 

I - Estudos Organizacionais e Políticas Públicas

Descrição: visa proporcionar a compreensão da dinâmica das organizações, associada à evolução das teorias da administração e do ambiente externo que as influencia, assim como dos processos administrativos e de gestão no setor público, no setor privado e no terceiro setor. Busca subsidiar a análise de políticas públicas e a proposição de modelos organizacionais por meio da identificação e da proposição de indicadores de eficiência e desempenho mais apropriados às características de cada setor de atividade em particular, de maneira a contribuir para intervenções integradas de desenvolvimento.

Docentes:

Alexandre Pereira Salgado Junior

André Lucirton Costa

Cláudia Souza Passador

Elizabeth Krauter

Evandro Marcos Saidel Ribeiro

Gilberto Aparecido Prataviera

João Luiz Passador

Perla Calil Pongeluppe Wadhy Rebehy

Tabajara Pimenta Junior

 

II - Gestão da Inovação e Sustentabilidade

Descrição: dedica-se à análise e gestão dos aspectos da inovação e da sustentabilidade. De forma geral, as pesquisas decorrentes desta linha contribuem para o avanço no estado da arte sobre os temas relevantes para a gestão da inovação, que venham a proporcionar novos produtos, processos produtivos, negócios, métodos organizacionais; e para a sustentabilidade, que contribuam com a melhoria do desempenho das dimensões econômica, social e ambiental das organizações.

Docentes:

Adriana Cristina Ferreira Caldana

Alexandre Bevilacqua Leoneti

Geciane Silveira Porto

Lara Bartocci Liboni Amui

Luciana Oranges Cezarino

Rogério Cerávolo Calia

Sérgio Kannebley Júnior

Simone Vasconcelos Ribeiro Galina

Sonia Valle Walter Borges de Oliveira

 

III - Criação de Valor: Gestão de Processos Organizacionais e de Marketing

Descrição: combina os elementos de inteligência de marketing, processos organizacionais e planejamento estratégico voltado ao acesso a mercados. Para a criação de valor, propõe o desenvolvimento e a aplicação de conhecimento em cadeias de valor e relações contratuais, objetivando compartilhar recursos e potencializar movimentos estratégicos das organizações envolvidas nestes arranjos. Adicionalmente, estuda os aspectos de consumo e da gestão de marcas aplicada a lugares e empresas, compreendendo a perspectiva das organizações detentoras da marca e os seus diversos mercados consumidores. Finalmente, busca novas metodologias para compreender, mapear e otimizar os processos organizacionais, de forma a melhorar o desempenho organizacional como um todo.

Docentes:

Edgard Monforte Merlo

Janaina de Moura Engracia Giraldi

Jorge Henrique Caldeira de Oliveira

Luciano Thomé e Castro

Marcos Fava Neves

Silvia Inês Dallavalle de Pádua

 

 

LINHAS DE PESQUISA ATÉ SETEMBRO DE 2018

 

1 - Estudos Organizacionais e Desenvolvimento

Descrição: visa proporcionar a compreensão sistêmica das organizações, da evolução das teorias da administração, do ambiente externo que as influenciam, assim como dos processos administrativos e de gestão no setor público, no setor privado e no terceiro setor. Busca subsidiar a análise de políticas públicas e a proposição de modelos organizacionais para intervenções integradas de desenvolvimento.

 

2 - Gestão da Inovação e Sustentabilidade

Descrição: dedicada à análise e gestão dos aspectos da inovação e da sustentabilidade. De forma geral, as pesquisas decorrentes desta linha contribuem para o avanço no estado da arte sobre os temas relevantes para a gestão da inovação, que venham a proporcionar novos produtos, processos produtivos, negócios, métodos organizacionais; e para a sustentabilidade, que contribuam com a melhoria do desempenho das dimensões econômica, social e ambiental das organizações.

 

3 - Planejamento, Inteligência de Mercado e Relações Contratuais

Descrição: combina os elementos de inteligência de marketing e planejamento estratégico voltado ao acesso a mercados. Propõe o desenvolvimento e a aplicação de conhecimento em cadeias de valor e relações contratuais, objetivando compartilhar recursos e potencializar movimentos estratégicos das organizações envolvidas nestes arranjos. Em conjunto, estuda os aspectos de consumo e da gestão de marcas aplicada a lugares e empresas, compreendendo a perspectiva das organizações detentoras da marca e os seus diversos mercados consumidores.

 

4 - Geração de Valor

Descrição: envolve o estudo e pesquisa das teorias de finanças, operações, processos de negócios e redes complexas com o intuito de entender as novas dinâmicas do mercado, desenvolver teorias e métodos que levem à geração de valor nas organizações e instituições públicas e privadas. O que também compreende as questões relacionadas à administração dos recursos para melhorar o desempenho, a sustentabilidade e gerar valor.

Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • José Marcelo de Castro Open or Close

    Seguem informações a respeito de defesa de tese de Doutorado agendada na FEA-RP:Área: Administração de Organizações

    Curso: Doutorado
    Data: 11/10/2019, às 14h30 (horário de Brasília)
    Local: Sala 43, Bloco B2 da FEA-RP
    Título: Análise distributiva de custo-efetividade da política de combate à hanseníase no Brasil entre os anos de 2006 e 2015: proposta de um modelo de avaliação de equidade em Política Pública
    Autor: José Marcelo de Castro

     

    Banca: Prof(a). Dr(a). Cláudia Souza Passador (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Jair Licio Ferreira Santos (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - FMRP)

    Prof(a). Dr(a). Aldaísa Cassanho Forster (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - FMRP)

    Prof(a). Dr(a). Vicente da Rocha Soares Ferreira (Universidade Federal de Goiás - UFG)

    Prof(a). Dr(a). Marco Andrey Cipriani Frade (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - FMRP)

    Prof(a). Dr(a). Mirna Lima Medeiros (Universidade Estadual de Ponta Grossa)

     

    Resumo: 

    Este estudo foca-se na política de combate à hanseníase, doença infectocontagiosa, curável por um baixo custo unitário e passível de controle/erradicação. Porém, sua agudização pode causar incapacidades físicas permanentes, prejuízos às atividades funcionais e comorbidades. Mais de 200 mil novos casos da doença são registrados anualmente no mundo, dos quais 97% em países em desenvolvimento, o que tem conduzido a associação entre sua ocorrência e baixos níveis de condições de vida. No Brasil, apesar da redução anual sistemática, foram registrados 28.761 novos casos de hanseníase, em 2015 – a segunda maior incidência mundial – e, elevado coeficiente entre os menores de 15 anos (4,46/100.000 hab.). Esta pesquisa objetiva integrar informações específicas da saúde aos dados gerenciais do Ministério da Previdência, com o intuito de avaliar a política de combate à hanseníase, de maneira que a estruturação possa ser usada em outros estudos ligados à Saúde, focando sua eficiência em diferentes estratos sociais, sob a ótica da Análise de Custo-Efetividade (ACE). Trata-se de um estudo descritivo e exploratório, de abordagem quantitativa. Estudo de abrangência nacional no qual a população em estudo contempla todos os residentes no país, em todas as faixas de idades, gêneros e raças, com diagnóstico positivo de hanseníase, cadastrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) no período 2006-2015, em cada município do Brasil. Foram selecionadas variáveis socioeconômicas (PNUD), educacionais (IDHM) e demográficas (IBGE), que compuseram o cenário epidemiológico nacional e submetidas à Análise de Componentes Principais, de modo que representassem o fenômeno epidemiológico da hanseníase da maneira mais abrangente possível no contexto brasileiro. Foram avaliadas variáveis socioeconômicas amplas para se fazer os agregamentos necessários, disponíveis para todo território nacional. A escolha das variáveis deu-se permeada pela literatura dos Determinantes Sociais de Saúde relacionadas à pobreza, desigualdade e condições de vida e saúde. Os custos foram calculados com base nos dados de produção ambulatorial e hospitalar, do Ministério da Saúde. Para a mensuração do desfecho em saúde, foi utilizado o DALY, segundo o método proposto pelo Global Burden of Disease. A avaliação foi feita com base em análise gráfica e na comparação da Razão Incremental de Custo-Efetividade. Os resultados apontam para a predominância de gênero em relação às concessões de benefícios; as regiões Sul e Sudeste concentram a maioria das concessões de benefícios. A análise do DALY ratificou que em locais de maiores dificuldades socioeconômicas e de saúde, a perda de anos de vida por incapacidade ou morte foi mais intensa reduzindo-se paulatinamente nos demais grupos analisados. Conclui-se que, o método de avaliação utilizado foi satisfatório para a avaliação da política de hanseníase no Brasil, tanto do ponto de vista da agregação feita, condizente com a realidade nacional.