Coordenador: Prof. Dr. João Luiz Passador

Mandato: de 22/02/2019 a 21/02/2021

 

Coordenadora Suplente: Profa. Dra. Janaina de Moura Engracia Giraldi

Mandato: de 23/11/2018 a 22/11/2020

 

Membros:

 

Titular: Profa. Dra. Adriana Cristina Ferreira Caldana

e-mail: adrianacaldana@gmail.com

Mandato: de 05/09/2018 a 04/09/2020

Suplente: Profa. Dra. Perla Calil Pongeluppe Wadhy Rebehy

e-mail: perla@usp.br

Mandato: de 05/09/2018 a 04/09/2020

 

Titular: Profa. Dra. Janaina de Moura Engracia Giraldi

e-mail: jgiraldi@usp.br

Mandato: de 13/11/2018 a 12/11/2020

Suplente: Prof Dr. Alexandre Bevilacqua Leoneti

e-mail: ableoneti@usp.br

Mandato: de 02/09/2019 a 12/11/2020

 

Titular: Prof. Dr. João Luiz Passador

e-mail: jlpassador@usp.br

Mandato: de 06/02/2019 a 05/02/2021

Suplente: Profa. Dra. Silvia Inês Dallavalle de Pádua

e-mail: dallavalle.silvia@gmail.com

Mandato: de 05/08/2019 a 05/02/2021

 

Titular: Mariana Silva Lovo (representante discente)

e-mail: marianalovo@usp.br

Mandato: de 15/12/2019 a 14/12/2020

Suplente: Angélica Ferreira Capellaro (representante discente)

e-mail: afcapellaro@usp.br

Mandato: de 15/12/2019 a 14/12/2020

Agenda Qualificações

Agenda Defesas

  • Naira Denise Kalb Open or Close
    Área: Administração de Organizações
    Curso: Doutorado

    Data: 06/04/2020, às 09h00 (horário de Brasília)
    Local: banca totalmente on-line, via Hangouts Meet
    Transmissão ao vivo: 
    https://stream.meet.google.com/stream/d3c22569-1481-4a03-b6e9-a3d7179979c2?authuser=3
    Obs: Apenas usuários com contas "@usp" podem acessar a transmissão. Caso usuários que não possuam estas contas queira assistir a sessão, deverão nos enviar (com antecedência) e-mail para "posgrad@fearp.usp.br" e enviaremos as instruções.
    Título: O que os olhos não veem o coração não sente? Um choque de realidade na indução do consumo Slow Fashion: um experimento com estudantes universitários
    Autor: Naira Denise Kalb
    Banca: Prof(a). Dr(a). Rogerio Ceravolo Calia (Presidente)
    Prof(a). Dr(a). Dirceu da Silva (Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP)
    Prof(a). Dr(a). Adriana Cristina Ferreira Caldana (FEA-RP)
    Prof(a). Dr(a). Nuno Manoel Martins Dias Fouto (FEA/USP)
    Prof(a). Dr(a). Filipe Quevedo Pires de Oliveira e Silva (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
    Prof(a). Dr(a). Marcelo Trevisan (Universidade Federal de Santa Maria - UFSM)
     
    Resumo:  Com mudanças rápidas na moda e preços baixos para roupas novas (modelo Fast Fashion), o consumo global de vestuário e têxteis aumentou consideravelmente durante as últimas décadas e a indústria têxtil é uma das maiores poluidoras do meio ambiente. O excesso de consumo é um processo eticamente condenável, pois faz com que os indivíduos comprem e consumam mais do que realmente necessitam. Por outro lado, o modelo Slow Fashion incentiva pessoas a comprar menos com uma qualidade maior e mais duradoura. Diante desse cenário, realizou-se um experimento com 212 estudantes universitários, apresentando um documentário que retrata situações de exploração humana e impactos ambientais da indústria Fast Fashion para verificar se, diante dessa exposição, haveria mudanças positivas de atitude e intenções comportamentais em direção ao Slow Fashion. Dentre os resultados, quase metade dos estudantes reconhece que não tem conhecimento sobre impactos ambientais, ausência de equidade social e exploração humana na indústria da moda ou sobre marcas ecologicamente corretas. Ao utilizar imagens, situações e informações realistas, como as apresentadas no experimento, os estudantes são levados a refletir sobre questões palpáveis e perturbadoras, trazendo para perto de si realidades, muitas vezes, consideradas distantes. O impacto do experimento foi significativo sobre atitudes e intenções para as próximas compras de vestuário/itens de moda e a reflexão sobre o documentário levou a uma intenção de consumo mais sustentável de moda (Slow Fashion). Evidenciou-se maior preocupação com equidade social e a longevidade e versatilidade do vestuário, buscando maneiras diferentes de usar as mesmas roupas e conservando-as por um longo período para não descartá-las rapidamente. Ademais, revelou-se a intenção de redução da frequência de consumo de moda/vestuário, substituindo quantidade de peças por itens de qualidade. Como consequência, com a redução do excesso de consumo, novas oportunidades de crescimento de negócios podem ser potencializadas, como serviços de reparação, reciclagem de vestuário, brechós e moda colaborativa, para ampliar o usabilidade e ciclo de vida dos produtos e redução do descarte em aterros sanitários.