BOLSAS SANTANDER

O Banco Santander realiza diversos programas de intercâmbio com bolsa de estudo para que alunos realizem estudos em universidades pelo mundo com as quais a empresa possui convênio. As bolsas de estudo concedidas são para intercâmbio de três semanas até um semestre para estudantes de graduação e pós-graduação aprofundarem seus conhecimentos e vivenciarem outras práticas culturais.

O oferecimento das Bolsas Santander varia de acordo com os convênios firmados entre a empresa, Agência USP de Cooperação Internacional e as universidades no exterior. Por isso é muito importante sempre ficar atento às divulgações realizadas e acompanhar as novidades nos sites oficiais. Atualmente todos os programas de Bolsas de intercâmbio financiadas pelo Banco Santander ocorrem na USP através Agência USP de Cooperação Internacional. Para mais informações acesse os sites:

Os alunos interessados em concorrer a alguma Bolsa Santander organizada em parceria com a AUCANI devem se inscrever tanto no site do Santander Universidades como no Sistema Mundus, da USP.

Confira abaixo algumas informações sobre os principais programas de bolsas Santander em vigor atualmente:

Bolsas Luso-Brasileiras

Uma das frentes da mobilidade internacional é o Programa de Bolsas Luso-Brasileiras, que estimula a cooperação entre Brasil e Portugal. São bolsas de estudo de um semestre para estudantes de graduação. Lançado em 2007 na comemoração dos 150 anos do Santander, o programa fortalece os laços de cooperação entre os países ibero-americanos, estreitando relações bilaterais. As inscrições ocorrem via Serviço de Graduação da FEA-RP.

Bolsas Ibero-Americanas

Lançado em 2011, o Programa de Bolsas Ibero-Americanas, é uma iniciativa que incentiva e promove a mobilidade de estudantes de graduação entre universidades ibero-americanas. O Programa tem como principais objetivos fortalecer a internacionalização da atividade acadêmica, criar novas frentes de colaboração, reciprocidade, fortalecer o intercâmbio bilateral além de estreitar o relacionamento entre universidades dos países ibero-americanos por meio da construção de um espaço de conhecimento socialmente responsável. No Brasil, 49 universidades foram beneficiadas com o total de 265 bolsas de estudos, com valor equivalente a três mil euros.

Bolsas Santander Mundi

O Santander Mundi, uma reformulação do programa Formula Santander, vai dar bolsas de estudos para mobilidade internacional a estudantes brasileiros de graduação e pós-graduação. Os estudantes podem ganhar uma bolsa de estudos para fazer um intercâmbio de até um semestre em um dos mais de 20 países em que o Santander está presente. Em 2018, serão 100 bolsistas contemplados.

Programa Top China

O Programa TOP CHINA é uma Iniciativa pioneira do Santander Universidades lançada em 2009 que promove o intercâmbio entre Brasil e China para o debate de temas de interesse global. A cada ano o Programa amplia seu impacto na sociedade, beneficiando alunos e professores. Permite intercâmbio de três semanas na China.

Programa Top España

O Programa de Mobilidade Internacional TOP ESPAÑA lançado em 2010, oferece bolsas de estudos na Universidad de Salamanca para aprimorar a formação acadêmica de alunos e professores. A iniciativa promove o intercâmbio cultural, além de contribuir com a capacitação de universitários e docentes para o mercado de trabalho. O TOP ESPAÑA concede cerca de 107 bolsas de estudo para 24 universidades brasileiras. Os contemplados terão a oportunidade de realizar curso de cultura e língua espanhola com a duração de três semanas.

Programa Top UK

O Programa TOP UK promove o intercâmbio de 40 alunos e professores de dez universidades brasileiras com uma das mais tradicionais e melhores universidades britânicas de acordo com o Ranking da Times Higher Education: Universidade de Oxford. O Programa com duração de três semanas tem como principais objetivos: proporcionar às universidades brasileiras a oportunidade de intercâmbio cultural resultando em sua internacionalização e integração da atividade acadêmica, além de capacitar os universitários e professores brasileiros na língua inglesa.

 

BOLSAS USP AUCANI

Programa de Bolsas de Intercâmbio Internacional para Alunos de Graduação - Mérito Acadêmico

A bolsa Mérito Acadêmico têm por objetivo proporcionar formação e experiência acadêmica internacional aos alunos USP por intermédio da realização de cursos ou programas de pesquisa em Instituições estrangeiras de reconhecida qualidade. A bolsa tem duração de dois a seis meses.

Cada unidade da USP recebe uma quota específica de bolsas. O aluno pode se inscrever nos Editais internos da FEARP, utilizando os convênios da unidade ou então nos editais da AUCANI, utilizando os convênios da USP e, posteriormente concorrer às bolsas através de editais específicos.

VALORES REFERENTES AOS AUXÍLIOS CONCEDIDOS PELO PROGRAMA DE BOLSAS DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL AOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA USP

Os valores podem variar entre R$ 5000,00 e R$ 20000,00 dependendo do período de intercâmbio e das normas do próprio edital de bolsas.

 

Bolsa Empreendedorismo

A Bolsa Empreendedorismo faz parte do Programa de Bolsas de Intercâmbio Internacional para alunos de graduação da Universidade de São Paulo.

Tem como um dos principais objetivos proporcionar experiência internacional em atividades de inovação e empreendedorismo aos alunos de graduação.

A responsabilidade pela seleção e gestão das bolsas é da Agência USP de Inovação através da Portaria GR nº 6640/15.

Para maiores informações, acesse esse link.

 

ERASMUS+

O Programa Erasmus (European Community Action Scheme for the Mobility of University Students, ou Programa de ação da Comunidade Europeia para a Mobilidade de Estudantes Universitários) é um programa de intercâmbio que financia estudantes, docentes e servidores da União Europeia (UE), criado em 1987. Esse programa é organizado pela EACEA (Education, Audiovisual and Culture Executive Agency). O Programa Erasmus, em conjunto com uma série de outros programas independentes, foi incorporado ao programa Sócrates criado em 1994 e 1999 foi substituído pelo Programa Sócrates II em 24 de janeiro de 2000, que em por sua vez, foi substituído pelo Lifelong Learning Programme 2007–2013 em 1 de Janeiro de 2007.

O novo programa Erasmus+ (2014 - 2020) combina todos os atuais esquemas da UE para a educação, formação, juventude e desporto, que iniciou suas atividades em Janeiro de 2014. O Erasmus+ incorporou os seguintes projetos que anteriormente eram independentes:

  • Lifelong Learning Programme (Erasmus, Leonardo da Vinci, Comenius and Grundtvig)
  • Youth in Action
  • Erasmus Mundus
  • Tempus
  • Alfa
  • Edulink
  • Programme for cooperation with industrialised countries

O programa tem, entre seus objetivos, o de promover a educação superior Europeia, colaborar na ampliação das perspectivas de carreira dos estudantes e promover o entendimento intercultural através da cooperação com países não membros da União Europeia (UE), estando assim, de acordo também com os objetivos da política externa da UE. O programa apoia a criação de parcerias entre instituições de Ensino Superior, europeias e de outros continentes, intercâmbio em todos os níveis da educação superior, com financiamento da mobilidade para estudantes de graduação, doutorado, pós- doutorado, docentes e servidores técnico-administrativos.

Erasmus+ concede bolsas para uma ampla gama de ações e atividades nas áreas de educação, treinamento e esporte. O programa dá oportunidades aos estudantes, funcionários e voluntários para passar um período no exterior para aumentar as suas competências e empregabilidade. Apoia as organizações a trabalhar em parceria transnacional e compartilhar práticas inovadoras.

As ações centralizadas são geridas a nível europeu pela EACEA. Para vertentes do programa Erasmus+ que trabalham com países fora da UE e de outros países do programa, Escritórios Nacionais Erasmus+ foram criados em vários desses países parceiros elegíveis. Para os interessados em Países do Programa, as agências nacionais também têm um Ponto de Contato Internacional para estas vertentes. As iniciativas do Erasmus+ são divididas em algumas ações principais, sendo:

Key Action 1: Learning Mobility of Individuals

A Ação-chave 1 apoia a mobilidade na educação e tem como objetivo trazer benefícios duradouros para os participantes e as organizações participantes envolvidas. O foco dessa ação são programas conjuntos de mestrado e doutorado que desejam obter financiamento do Erasmus+. A EACEA gere a seleção de projetos em: 

As outras ações do KA1 são geridas a nível descentralizado pelas agências nacionais. Aplicações no âmbito desta ação não podem ser feitas individualmente por alunos, funcionários ou voluntários. Os que desejam participar de uma atividade devem contatar uma das organizações que recebem apoio do programa Erasmus+.

Key Action 2: Cooperation for innovation and the exchange of good practices

As ações no âmbito da Ação-Chave 2 torna possível para organizações de diferentes países participantes trabalhar em conjunto, desenvolver, compartilhar e transferir as melhores práticas e abordagens inovadoras nas áreas de educação, formação e juventude. As seguintes ações são gerenciadas pela EACEA como parte do chamado geral à apresentação de propostas e descrito em detalhes no Guia do Programa:

  • Knowledge Alliances cooperation between higher education institutions and enterprises;
  • Sector Skills Alliances addressing skills gaps in specific economic sectors;
  • Capacity Building in the field of youth supporting cooperation with Partner Countries;
  • Capacity Building in the field of higher education supporting cooperation with Partner Countries.
  • Additionally there will be a high number of Strategic Partnerships in the field of Education, Training and Youth supported through KA2.

Key Action 3: Support for policy reform

A Ação-chave 3 concede bolsas para uma ampla variedade de ações que visam estimular o desenvolvimento de políticas de inovação, diálogo e implementação de políticas, e da troca de conhecimentos nos domínios da educação, formação e juventude. A maioria deles é gerida pela EACEA. Muitas das acções no âmbito KA3 são geridos fora do chamado geral anual à apresentação de propostas. Os três instrumentos principais que são gerenciados por meio de chamadas específicas para apresentação de propostas publicados nesse site.

Key Action Jean Monnet

As Ações Jean Monnet tem por objetivo promover a excelência no ensino e pesquisa no campo dos estudos da União Europeia em todo o mundo. Essas ações também visam a promoção de um diálogo entre o mundo acadêmico e os decisores políticos, em particular com o objetivo de reforçar a governança das políticas da UE. As principais atividades incluem cursos, pesquisas, conferências e publicações no campo de estudos da UE.

Estudos da União Europeia integram o estudo da Europa em sua totalidade, com especial ênfase no processo de integração europeia, tanto nos seus aspectos internos e externos. A disciplina abrange também o papel da UE no mundo globalizado e na promoção de uma cidadania europeia ativa eo diálogo entre povos e culturas. 

Cátedras Jean Monnet, Centros de Excelência, Módulos, Política Debate com Mundo Acadêmico e Apoio a instituições acadêmicas ou atividades associadas fazem parte do de chamadas geral à apresentação de propostas e são descritos em detalhes no Guia do Programa.

Erasmus Mundus

O Erasmus Mundus era um programa de mobilidade para educação superior criado e administrado pela Comissão Europeia, voltado, porém, para o mundo todo, sem discriminação de países ou nações. Os objetivos do programa são de promover a educação de ensino superior europeia, ajudar a melhorar as perspectivas de carreiras e promover a interculturalidade entre países europeus e não-europeus. As bolsas para os cursos de mestrado possuem valor de 24 mil euros anuais e de doutorado de 60 a 130 mil euros. O Erasmus Mundus foi finalizado em 2013, mas os projetos de mestardo e doutorado conjunto suportados por ele continuam a existir.

  • Mais informações sobre essas oportunidades nesse link.

Para saber mais