Segunda, 26 Agosto 2019 15:40

Crédito para construção civil tem queda no financiamento

Avalie este item
(1 Voto)

 O crédito para a construção civil apresentou queda de 19,71% na comparação entre os meses de maio de 2018 e 2019. Para o setor de serviços, o crédito ficou praticamente estável. É o que aponta o Boletim Crédito de agosto de 2019, elaborado pelos pesquisadores Francielly Almeida e Caio Vinicius da Silva Albanezi, sob coordenação do professor Luciano Nakabashi, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP.

 

Para os pesquisadores, a queda é um reflexo do fraco desempenho da economia. Ainda segundo eles, a nova linha de crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal, atualizada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), pode contribuir para o crescimento do setor.

 

De acordo com a Caixa, a expectativa é que a mudança reduza o custo de crédito imobiliário e espera-se um valor adicional de R$ 10 bilhões em financiamento da casa própria com a nova modalidade de crédito.

 

Entre abril e maio de 2019, o saldo de crédito ampliado (que engloba as operações de crédito dos setores não financeiros, títulos de dívida pública e privada e dívida externa) apresentou aumento de 0,35%. Na comparação com maio de 2018, o crescimento foi de 2,60%, cerca de R$277 milhões.

 

O estoque das operações de crédito cresceu 0,5% no País na comparação entre maio de 2018 e 2019. No estado de São Paulo e na Região Metropolitana da capital, elas registraram crescimento de 4,4% e 5,3%, respectivamente no mesmo período.

 

Após sucessivas quedas, desde janeiro de 2018 o endividamento das famílias tem crescido. De acordo com os pesquisadores “o aumento da inflação dos alimentos no primeiro trimestre, piorando situação financeira das famílias de menor renda, a melhora no quadro das expectativas e a menor taxas de juros são alguns dos fatores apontados por especialistas que contribuíram para essa trajetória.”

 

Por: Leonardo Rezende, Assessoria de Comunicação da FEA-RP.

Lido 351 vezes