Agenda Qualificações e Defesas

  • Gedir Silva de Souza Open or Close

    Data: 31/03/2017, às 14:00
    Local: Sala 43, do bloco B2 da FEA-RP
    Título: Incentivos fiscais e dispêndios com P&D&I: uma avaliação da da Lei do Bem
    Autor: Gedir Silva de Souza

    Banca: Prof(a). Dr(a). Geciâne Silveira Porto (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Luiz Guilherme Dacar da Silva Scorzafave (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA/RP)

    Prof(a). Dr(a). Evandro Marcos Saidel Ribeiro (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA/RP)

    Prof(a). Dr(a). André Luiz Sica de Campos (UNICAMP)

    Prof(a). Dr(a). Rogério Gomes (UNESP) - videoconferência

    Resumo: O consenso entre os organismos internacionais de cooperação para o comércio e para o desenvolvimento econômico, está em reconhecer, na capacidade de inovar, a maior fonte de promoção da produtividade das organizações. Parte do esforço brasileiro de construção e desenvolvimento de um sistema nacional de inovação constituiu-se na criação de programas de incentivos fiscais, como forma de fazer avançar os investimentos em Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação - P&D&I, provocando o setor privado a participar mais intensamente do processo de financiamento do desenvolvimento tecnológico. Uma década após a implementação do principal programa de incentivo fiscal à inovação no Brasil (Lei nº 11.196/05), é mister verificar se tais incentivos foram capazes de atingir os seus objetivos. A presente tese visa a avaliar: (i) qual a repercussão sobre os dispêndios com P&D&I da opção pela utilização dos incentivos fiscais concedidos pela Lei do Bem e (ii) quanto dos créditos fiscais recebidos pelas empresas participantes do programa de incentivos fiscais retornou em termos de investimentos em P&D&I ao longo do tempo. A metodologia a ser empregada, propõe a estimação de um modelo empírico para dispêndios em P&D&I, em que estes são explicados ora pela opção da empresa por utilizar os incentivos fiscais para a inovação ora pelos créditos fiscais obtidos em razão da utilização do programa de incentivos fiscais, além de um conjunto de variáveis de controle associado as restrições de financiamento. Os testes estatísticos serão conduzidos para o agregado das companhias de capital aberto, registradas na BM&FBOVESPA em 2013, relativamente a seus desempenhos no período de 2008 a 2013. Os resultados, para dados em painel dinâmico, serão obtidos a partir do modelo dinâmico GMMSystem. Os resultados obtidos apontam que a decisão de utilizar os incentivos fiscais para P&D&I está associado a um aumento nos dispêndios com P&D&I, ao longo do tempo, que pode variar de 5,4% a 16,9%, ao passo que, o aumento de uma unidade em créditos fiscais recebidos pela companhia está associado a um aumento em seus dispêndios com P&D&I, que pode variar de 22% a 45%, ao longo do tempo.

  • Jorge Luis Sánchez Arévalo Open or Close

    Data: 06/04/2017, às 09:00
    Local: Sala 43, do bloco B2 da FEA-RP
    Título: Análise econômica das relações entre Brasil e Peru: evidências da Rodovia Interoceânica sobre a integração
    Autor: Jorge Luis Sánchez Arévalo

    Banca: Prof(a). Dr(a). Edgard Monforte Merlo (Presidente)

    Prof(a). Dr(a). Marcio Bobik Braga (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Amaury Patrick Gremaud (FEA-RP)

    Prof(a). Dr(a). Sergio Silva Braga Junior (UNESP)

    Prof(a). Dr(a). Hildo Meirelles de Souza Filho (UFSCAR)

    Resumo: A integração física entre Brasil e Peru ganhou destaque no início do ano 2000 com a Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-Américana (IIRSA). Dentre vários objetivos dessa integração, destaca-se o de servir como meio para que o fluxo de comércio entre o Brasil e Peru (e Estados por onde passam a Rodovia Interoceânica) seja mais intenso. Assim, de modo a contribuir com a teoria do comércio internacional com ênfase no novo regionalismo, a tese teve como objetivo testar empiricamente os objetivos da integração física, mais especificamente os aspectos econômicos. Para tal finalidade, a tese parte da interação através de uma estrutura conceitual proposta, a qual serve de base para discussão e formulação das hipóteses. Para aferir essas hipóteses, foi feita uma revisão literária que abrange o contexto da discussão sobre o tema, sendo que as palavras que perfazem a construção das hipóteses estão atreladas às evidencias sociais e políticas descritas no modelo conceitual (figura 2). Com a finalidade de atender o objetivo, três procedimentos de análise foram realizados: a) a estimação de um modelo gravitacional, sendo que no estudo se explora diversas metodologias, por meio do método Poisson Pseudo-Maximum-Likelihood – PPML o qual se encontrou estatísticas mais robustas, indo de encontro com a literatura econômica; b) análise de competitividade através do método “Constant Market Share” de segundo nível, e c) análise da pauta de exportação com base na classificação de mercadorias estabelecida pelas Nações Unidas, e critérios utilizados pela Cepal e Banco Mundial. Os resultados indicam que existem evidências de que a renda, distância e o efeito fronteira, explicam em grande medida a determinação do fluxo de comércio entre os dois países em estudo. Em termos gerais, o comércio se tem intensificado após o ano 2011, momento em que a Rodovia começou a operar na sua totalidade. Entretanto, não se pode argumentar que o aumento do comércio possa ser explicado fortemente pela variável “rodov” atrelado à integração física, dado que o comércio via modal aero e marítimo ainda são maiores quando comparado com o modal rodoviário. Também, comprova-se a hipótese central que perfaz a segunda análise, de que há uma tendência de ganhos de competitividade na exportação brasileira no mercado do Peru.Até mesmo há ganho de competitividade da exportação peruana no Brasil, porém, com o market share pouco significativo. No que se refere ao padrão de exportação do Brasil ao Peru, a mesma é mais diversificada, caso contrário (vice-versa), não é verdade. O padrão de exportação do Brasil é mais especializado em produtos de intensidade tecnológica. Já a alta concentração das exportações do Peru denota a especialização desse país em produtos nas quais apresenta vantagem comparativa. No geral, este estudo contribui para a teoria do comércio internacional, de forma específica ao novo regionalismo; a mesma que se torna relevante nas condições atuais onde a procura por novas formas de fortalecimento das relações bilaterais e de comércio podem servir de impulsores (e servir de debate) para o crescimento de regiões pouco desenvolvidas de ambos os países. Além disso, por meio deste trabalho, pode-se atribuir um valor tangível aos benefícios da integração física sobre o fluxo de comércio, principalmente para os Estados por onde passa a Rodovia, dado a melhora observada de fluxo de comércio, embora o fluxo não seja homogêneo nos Estados do Peru quando comparados com os do Brasil.